segunda-feira, 9 de novembro de 2009

"Poeteiros" do meu Brasil #1


Essa nova coluna tem como objetivo mostrar todo o lirismo de grandes compositores brasileiros. Como a grande mídia mostra apenas as bobagens de bestas quadradas como Caetano Veloso (que recentemente falou que "Woody Allen é um diretor pequeno e muito heterossexual") e Carlinhos Brown, colocarei algumas das mais belas e malditas canções. Inaugurando esse espaço, uma letra de uma das minhas bandas favoritas de rock nacional: Porque não, dos Replicantes.

Em poucos versos, a banda gaúcha extravaza toda a raiva ao endeusamento à tropicália, à chatice da bossa nova e alfineta com muito bom humor alguns dos mais renomados nomes da MPB. Enfim, uma letra PERFEITA.

Porque não

"Me disseram que sem lenço era a grande solução,
Joguei fora os documentos e acabei no camburão,
Eu não vou porque não não não,
Os baianos nos trovaram que o amor tinha futuro,
Quis transar com uma mina que mordeu o meu pau duro,
Eu não vou porque não não não,
Agora eu sei qual é a deles. Já peguei no pé do gil,
Eu quero que o caetano vá pra PUTA QUE O PARIU,
Eu não vou porque não não não,
O Gismonti é um chato tô cansado de saber,
O Chico era um velho mesmo antes de nascer,
Eu não vou porque não não não,
O samba me da asma bossa nova é de fuder,
Prefiro tocar bronha e punkar até morrer."

Lindo né?

video

Nenhum comentário: